sábado, 26 de setembro de 2015

A Santíssima Trindade de Deus



Deus é trino/trinitário, ou seja, é um só Deus, mas subsiste em três pessoas distintas: O Pai, o Filho e o Espírito Santo.
E, como muitas vezes ouvimos orações em que as pessoas oram a Jesus e o chamam de Pai; ou oram a Jesus, em nome de Jesus; e ainda porque falta a alguns, os devidos conhecimentos à respeito,  achei por bem dar alguns esclarecimentos.
Veja bem esta figura abaixo:


Assim como Calvino, A. Kuiper e outros, vou citar T. Aquino:
Há um só Deus na trindade, e a trindade na unidade, sem confundir as pessoas, nem separar a substância; pois uma é a pessoa do Pai, outra a do Filho, outra a do Espírito Santo; mas uma é a divindade, igual a glória, co-eterna a majestade do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.
Qual o Pai, tal o Filho, tal o Espírito Santo; incriado é o Pai, incriado o Filho, incriado o Espírito Santo; eterno é o Pai, eterno o Filho, eterno o Espírito Santo;
e, no entanto, não há três eternos, mas um só eterno; como não há três incriados, nem três imensos, mas um só incriado e um só imenso; assim também o Pai é onipotente, o Filho é onipotente, o Espírito Santo é onipotente; e, no entanto, não há três onipotentes, mas um só onipotente.
Como o Pai é Deus, assim o Filho é Deus, e o Espírito Santo é Deus; e, no entanto, não há três deuses, mas um só Deus.
Como o Pai é Senhor, assim o Filho é Senhor, e o Espírito Santo é Senhor; e, no entanto, não há três três Senhores, mas um só Senhor.
Porquanto, assim como a verdade cristã nos manda confessar que cada pessoa, tomada separadamente, é Deus e Senhor; assim também não são três deuses ou três senhores.
O Pai não foi feito por ninguém, nem criado, nem gerado; o Filho é só do Pai; não feito, não criado, mas gerado; o Espírito Santo é do Pai e do Filho; não feito, não criado, mas procedente.
Há, pois, um só Pai, não três pais; um só Filho, não três filhos; um só Espírito Santo, não três espíritos santos.

E nesta trindade nada existe de anterior ou posterior, nada de maior ou menor; mas todas as três pessoas são co-eternas e iguais umas às outras; de sorte que em tudo, como acima ficou dito, deve ser venerada a unidade na Trindade, e a Trindade na unidade. – (S. T. Aquino).

 “... É através da criação do Pai e da sua providência que recebemos o nosso pão de cada dia, e é através da morte expiatória do Filho que recebemos o perdão, e através do poder do Espírito que habita em nós que somos livrados do maligno...”. (John Stott).