segunda-feira, 16 de maio de 2016

ADÚLTERIO


ADULTÉRIO


Mt 5.27-32 - O QUE É ADULTÉRIO? O dicionário Aurélio define apenas como “Infidelidade conjugal”. Entre crentes o assunto toma dimensões mais elevadas e aí temos de perguntar: Será que adultério só é praticado por pessoas casadas? Não! Diante de Deus adultério é mais que isso. O que é adulterar? Adulterar é falsificar, contrafazer, mudar, alterar ou corromper a forma determinada por Deus para o relacionamento sexual do casal ou o uso dos órgãos sexuais, seja em relação ao homem ou a mulher. Qualquer desvio no uso do sexo é adultério e passível da pena divina. Vejamos alguns tipos de adultério: A ejaculação masculina ou o prazer sexual feminino sem a manipulação dos órgãos genitais ou sem relação sexual: É o prazer obtido por estar excitado e ficar roçando-se na roupa apertada ou em qualquer objeto. Dar atenção à mente poluída e procurar ver cenas, figuras e situações excitantes leva à sensações e ao desejo da relação sexual. A pessoa fica num estado de excitação que o mínimo de contato dos órgãos sexuais, até mesmo com o colchão, pode levá-la ao prazer. Lv 15.16 / 22.4 – “O homem, quando se der com ele emissão de sêmem, banhará todo o seu corpo em água e será imundo...”. Esse ato é adultério mesmo que não haja manipulação dos órgãos sexuais ou a participação de outra pessoa. Masturbação seja masculina ou feminina: Ela fere os princípios para os quais o sexo foi criado por Deus. Seja procriação ou comunhão do casal. Adultera-se a forma deixada por Deus para a relação sexual. A masturbação visa o prazer do indivíduo sem se importar com a satisfação do cônjuge. O sexo foi criado por Deus para procriação, união, felicidade, prazer e manutenção do estado de graça do casal. A masturbação não produz nada disso. Sexo entre solteiros: É conhecido como fornicação, porém é adultério. Ainda não são casados. Não há, sequer, um texto bíblico que permita o sexo entre pessoas não casadas, pelo contrário. Essa prática nunca foi permitida entre o povo de Deus e quando houve, foi considerada pecado e trouxe muitas consequências ruins. É o caso de Siquém, um jovem solteiro, se encontrou com Diná, filha de Jacó, e fizeram sexo sem serem casados. Esse ato trouxe desgraças, tristezas, dor e sofrimentos para toda a família. Gn 34.7 – “Siquém praticara um desatino em Israel o que se não devia fazer”. Os jovens solteiros Siquém e Diná não podiam ter se relacionado sexualmente. Em Números 25.1,7, jovens israelitas solteiros se relacionaram sexualmente com jovens cananitas e isso trouxe praga sobre todo o povo, e um jovem príncipe foi morto por causa desse pecado e Deus honrou ao Sacerdote que puniu com a morte os adúlteros. Sexo com pessoas do mesmo sexo (homossexuais): A condenação ao homossexualismo é clara na Bíblia e é tratado como “impureza, perversão e efeminados”. Apocalipse 21.8, diz que os impuros não  terão  lugar no reino dos céus, ou
seja, serão condenados ao inferno. Levítico 18.22 e 20.13 diz: “Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; é abominação”“Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável; será morto; o seu sangue cairá sobre eles”. Rm 1.26,27 “Deus os entregou a paixões infames porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural de mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição de seu erro”. A AIDS e DSTs são parte desta “merecida punição de seu erro”. Sexo entre pessoas e animais: Infelizmente este não é um tipo de adultério raro e já existia naquela época, tanto que houve a proibição em Lv 20.15,16 – “Se um homem se ajuntar com um animal, será morto; e matarás o animal. Se uma mulher se achegar a algum animal e se ajuntar com ele, matarás tanto a mulher como o animal; o seu sangue cairá sobre eles”. Sexo com mais alguém além do casal (sexo grupal ou swing): Os meios de comunicação estão incentivando as experiências sexuais grupais como algo positivo. “Os Normais” tem sido usados como cabos eleitorais dessa perversidade. Um dos meios utilizados para colocar mais alguém na relação é o uso de filmes pornográficos como forma de “esquentar” a relação. Isto é abrir a porta da intimidade do casal para outras pessoas. Um dos cônjuges pode manter relação com seu parceiro pensando na pessoa do filme ou revista que viu. Isto é adultério. Nem quando havia a poligamia Deus permitiu o sexo grupal: Lv 18.18 – “E não tomará com tua mulher outra, de sorte que lhe seja rival, descobrindo a sua nudez com ela durante sua vida”. Sexo entre uma pessoa casada com outra que não seja seu cônjuge: Esta é a forma tradicionalmente conhecida como adultério. O que Jesus disse a esse respeito? “Ouvistes o que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela”. Se você acha que exagerei nas descrições acima do que é adultério, veja agora o que o próprio Jesus disse a esse respeito – Só em pensar em ter relação sexual com alguém que não seja o seu cônjuge já é adultério. Primeiro Jesus mostrou que não adulterar é lei divina. É proibido adulterar! Então Ele acrescenta: “Acalentar no coração qualquer sentimento de incentivo ao sexo com alguém que não seja seu cônjuge é adultério já consumado”. E se a pessoa é solteira, como fica se não tem cônjuge para se satisfazer se há o desejo? Se case! Ao solteiro que tem desejos sexuais a solução é casar-se. Esse é o ensino bíblico. COMO JESUS ENSINA QUE DEVEMOS TRATAR O ADULTÉRIO? “Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno. Se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não vá todo o teu corpo para o inferno”. Como se trata uma planta doente? Adubação profunda e poda. Como se trata uma doença crônica? Com tratamento crônico. A cirurgia deve retirar todo sinal da doença. Neste caso o indicado é cortar o mal pela raiz. Nunca mais frequente ambientes propícios ao pecado, por exemplo. Se uma determinada situação pode te levar a pecar a saída deixada por Jesus é que você nunca mais se exponha a tal situação. É como a primeira olhada em alguém interessante que passa. Não é possível prever a primeira olhada, mas a segunda olhada em diante vem cheia de más intenções e projetos adúlteros. Este desejo é descrito por Jesus como adultério consumado. Controle-se e busque ser fiel a Deus. QUAL É O CASTIGO DO ADULTÉRIO? “Ser lançado no inferno”. O castigo do adultério é a morte, assim como todos os demais pecados. Rm 6.21 “O salário (ou a condenação) do pecado é a morte”. Porém, o castigo do adultério,  contrário  ao  que  muitos
pensam, não é maior que o castigo para pecados considerados de menor importância. Diante de Deus todos os pecados são atos de rebeldia contra Ele e o que conta não é o pecado em si, mas a motivação do coração rebelde para cometê-lo, seja por rebeldia à Sua lei ou por descaso para com ela. A mesma punição recai sobre a mentira, fofoca, desonestidade, o jeitinho desonesto, ao coração duro... QUAIS SÃO OS EFEITOS DO ADULTÉRIO? “Também foi dito: Aquele que repudiar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio. Eu, porém, vos digo: Qualquer que repudiar sua mulher, exceto em caso de relações sexuais ilícitas, a expõe a tornar-se adúltera; e aquele que casar com a repudiada  comete adultério”. Deus odeia o divórcio. Israel foi duramente penalizado por Deus porque o divórcio se tornara comum entre eles. O divórcio não faz e nunca fez parte do projeto de Deus para o casamento. Ele é conseqüência do adultério, e esse é o único caso em que há a permissão para o divórcio. Jr 3.8 “Quando por ter cometido adultério, eu despedi a pérfida Israel, lhe dei carta de divórcio”. O divórcio não é aceito por Deus e é punido como o adultério, pois a pessoa que se divorcia, não sendo por causa de adultério, expõe-se a si e ao cônjuge ao adultério, pois terão novos relacionamentos “Adúlteros”. Serão adúlteros, pois só a morte do cônjuge põe fim ao casamento e casando-se nesta situação estará em adultério. Lv 20.10 – “Se um homem adulterar com mulher do seu próximo será morto o adúltero e a adúltera”. Em Israel os adúlteros eram punidos com a morte, hoje não é mais assim, mas mesmo assim não ficam sem punição. Na Igreja o adúltero perde todos os seus privilégios como cristão. Abandonando-se o pecado e retornando ao caminho santo, a punição é retirada. Ao adúltero é exigido que abandone o seu adultério e volte para o cônjuge, isto se o cônjuge ainda não se casou novamente. Dt 24.4a – “Seu primeiro marido, que a despediu, não poderá tornar a desposá-la para que seja sua mulher, depois que foi contaminado, pois é abominação perante o Senhor...”. O adúltero é impedido de casar-se novamente. 1 Co 7.10,11 – “Ora aos casados... a mulher não se separe do marido, se, porém vier a separar-se que não se case ou que se reconcilie com seu marido; e que o marido não se aparte de sua mulher”. Mt 19.9 – “Eu, porém, vos digo: quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de relações sexuais ilícitas, e casar com outra comete adultério e o que casar com a repudiada comete adultério”. Quem põe fim ao casamento terá de ficar solteiro, pois em vivendo seu cônjuge, se casar novamente, será adúltero (Rm 7.2,3). E quem casar com a pessoa repudiada por ter adulterado também será adúltero. Não há impedimento ao novo casamento da parte inocente, porém, ao adúltero ou adúltera não há, biblicamente falando, a possibilidade de um novo casamento. CONSEQUÊNCIAS DOS VÁRIOS TIPOS DE ADULTÉRIOS: Ejaculação ou orgasmo involuntários: Mente poluída leva ao desejo de complementos, como filmes pornôs e isto  acrescenta a lascívia e a devassidão. A pessoa não se satisfará apenas com seu cônjuge. Sempre desejará algo, ou alguém, para estimular a relação sexual do casal. Masturbação: leva à insatisfação do companheiro: a masculina leva à ejaculação precoce. A feminina leva à demora e falta de prazer com o marido. Entre solteiros: Além de ser pecado, o sexo entre solteiros pode levar à gravidez e ao aborto do feto. Tornam-se assassinos do próprio filho. A culpa e a cobrança são outros males, além de terem de se casar numa situação vexatória. Entre pessoas do mesmo sexo (homossexuais): Vergonha, preconceito, doenças e morte. Com animais: Doenças venéreas e um tipo de relacionamento nojento. Entre o casado (a) e outra pessoa: Destruição do casamento. Perda de privilégios espirituais, da convivência com filhos, financeira, ciúme dos filhos e penalidades divinas. Você que é crente tem de estar alerta nesta área, pois é uma das que mais derrubam os desavisados. Não adultere nunca!                 

(Rev. Silas Matos Pinto).