quinta-feira, 19 de maio de 2016

ARMADURA DE DEUS



Efésios 6.10-20 – Um soldado romano, vestido para a guerra, era um ser quase invisível.
Temos que levar em conta a sua preparação, pois os soldados passam muito tempo
treinando cada um dos seus passos, até a exaustão. Tinha também a fidelidade ao seu
líder maior, e também, ao soldado irmão. Um soldado romano nunca abandonava seu
companheiro, mesmo que para isto tivesse que morrer, e também, nunca se rebelava
contra seu líder, pelo contrário, cumpria todas as suas ordens e se dispunha até a morrer
por ele. Somado a esta dedicação e fidelidade vinha a armadura que usava. Todo o corpo
do soldado romano estava protegido: sua cabeça era protegida por um capacete super
resistente que o protegia dos mais duros impactos; seu peito era protegido por uma couraça
feita de couro e metais trançados que impedia que fosse alvejado por flechas ou atingido
por uma lança. Ela impedia, como um colete à prova de balas, que as lanças penetrassem
no seu peito; além dessa couraça (colete) à prova de flechas, o soldado ainda usava um
escudo grande e resistente. Ele protegia todo o corpo de ataques frontais. Em caso de
ataques mais acirrados, os soldados se juntavam em um círculo e com os escudos faziam
uma proteção frontal e sobre suas cabeças. E assim todos estavam protegidos; seus pés
estavam protegidos por um calçado especial, que ao mesmo tempo era confortável, para
dar-lhes condições de fazer longas caminhadas e correr atrás do inimigo, e ao mesmo tempo
proteger os pés de flechas lançadas pelos adversários; mas, além de todo esse aparato de
defesa, ainda empunhavam uma espada afiada, que sendo usada por soldados treinados,
era o terror dos inimigos. Usando estas armas de defesa e ataque, quando um soldado
romano partia para uma batalha, não tinham dúvida que voltaria para casa com a vitória.
Paulo conhecia este aparato de guerra dos romanos e sabia que os servos de Deus
também precisavam dele. Todos enfrentariam inimigos, dirigidos por forças espirituais das
trevas, e se estivessem despreparados poderiam não resistir ou fraquejar. Então, Paulo
ensina-nos a nos revestirmos da armadura de Deus, que se compõe de: Capacete da
salvação, que nos protege de nos iludirmos com as coisas mundanas e nos dirige para um
encontro com Deus, em santidade; A couraça da verdade e justiça, que protege nosso
coração para agirmos como fiéis servos de Deus; O escudo da fé, que nos protege e não
nos deixa vacilar diante das crises e dificuldades, dando-nos a certeza da ação de Deus em
nosso favor e de recebermos o que Ele nos prometeu; Calçados com a preparação do
Evangelho, que nos faz ministros de Deus e transmissores da mensagem da verdadeira
salvação e não de falsas e enganadoras mensagens, que iludem os desavisados e não
os afastam dos perigos; e, A espada do Espírito, que é a arma de ataque, com a qual
derrotamos o nosso maior adversário. Todos os crentes devem se revestir desta armadura.
Paulo usa três verbos importantes para sua mensagem: Resistir, Vencer e
Permanecer. Vamos analisá-los:
RESISTIR NO DIA MAU. Não somos assim tão resistentes como gostaríamos.
Mostramos-nos fortes, mas diante da dor e da perda, fraquejamos e nos
desmanchamos em lágrimas. Salomão pediu a Deus estabilidade financeira, pois
seu medo era se tornar pobre e vir a roubar ou ficar rico e se esquecer de Deus.
Para ele, tanto a riqueza, quanto a pobreza seria um dia mau, pois poderia colocar
em risco a sua fidelidade a Deus. Muitos são os exemplos de dias maus e nenhum
deles é agradável. Tragédias familiares, acidentes, assaltos, perdas, enfermidades,
perseguições, tristezas, depressões são a causa de muitos se afastarem de Deus.
Nestes dias maus não resistem por estarem desprotegidos. É por isso que Paulo
induz a nos revestirmos da armadura de Deus para resistirmos nestes dias maus.
VENCER TUDO. Assim como o soldado romano enfrentava seus inimigos
com a certeza da vitória, Paulo afirma que revestidos da armadura de Deus
enfrentaremos o dia mau e venceremos tudo. A armadura de Deus nos dá
a certeza da vitória. Ninguém gosta de perder e muitos perdem por estarem
desprotegidos. Lembremo-nos que nosso Senhor vence os inimigos, por maior que
sejam, com apenas uma palavra de Sua boca. Estando com Ele e protegidos pela
armadura que ele nos oferece, podemos ter a certeza da vitória.
PERMANECER INABALÁVEIS. A Rocha é usada com frequência na Bíblia
para representar a Cristo. A rocha é dura e firme. Por suas propriedades ela é
usada nas edificações para que possam suportar as adversidades e não cair
com os abalos cotidianos. Firmados em Cristo, nossa Rocha, e revestidos da
armadura de Deus, permaneceremos inabaláveis, mesmo sob os piores ataques
de nossos inimigos. Os romanos não davam passos para trás. Eles só iam para
frente. Às vezes, como descrevi, eles tinham que se agrupar para se protegerem
das flechas, mas permaneciam firmes, e assim que o ataque passava, retomavam
suas posições e partiam para novos ataques. O uso da sua armadura era o que
lhes dava a certeza de que venceriam e que não teriam necessidade de abandonar
o campo de batalha, fugindo. Do mesmo modo não teremos razão para fugir.
Podemos fincar os pés, lutar com bravura, resistir o dia mau e ficar inabaláveis.
Paulo acrescenta à armadura outro ingrediente: ORAÇÃO. Ele nos induz a orar
sempre e suplicarmos o favor do alto. A oração é o modo de nos assegurarmos
que tudo vai dar certo. O primeiro impacto pode nos abalar, mas a oração nos
aproximará de Deus e fará com que nosso problema seja diminuído aos nossos
olhos e percamos o medo dele. Uma armadura pesada e que dava segurança a
soldados foi colocada sobre Davi e ele abriu mão dela. Era pesada demais. Ele
preferiu cingir-se da armadura de Deus e, em nome do Senhor, seguro do Seu
poder, ele enfrentou o Gigante Golias, que a seus olhos pareceu um alvo fácil de

derrotar. Seja cuidadoso nas orações e cinja-te da amadura de Deus.

  (Rev. Silas Matos Pinto).