segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Homenagem da UPH de Itapema ao dia da Mulher Presbiteriana




Em nosso calendário Oficial da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB), o segundo domingo de fevereiro é reservado para comemorarmos o Dia da Mulher Presbiteriana. Justo seria comemorarmos todos os dias, porém tão merecido reconhecimento público não seria possível em virtude das demandas cotidianas.


O trabalho que nossas valorosas irmãs desenvolvem seja no âmbito local, regional, nacional e também transcultural é impressionante. Quem examina os relatórios do trabalho feminino fica impressionado com a organização e sente-se desafiado com a quantidade de atividades realizadas com extrema qualidade nas mais diversas áreas (evangelização, discipulado, ação social, cultura, saúde e lazer ).

Em 2018, o dia 11 de fevereiro, comemoramos tão significativa data, creio ser extremamente oportuno refletirmos acerca dos desafios apresentados no Moto do trabalho feminino de nossa denominação, com súplicas a Deus que cada cláusula seja fielmente desenvolvida para o crescimento e fortalecimento do reino de nosso bendito Salvador Jesus Cristo.

SEJAMOS VERDADEIRAS AUXILIADORAS – Ser mulher presbiteriana é ser autêntica, fiel, de uma só palavra. A mentira e o engano são características alheias às servas de nosso Senhor Jesus. No exercício de sua vocação nossas irmãs desejam contribuir de forma expressiva em todas as oportunidades, não apenas nas grandes e faustas como também nas simples e quase imperceptíveis.
Não estão em busca de destaque, holofotes e mídia, estão sim, prontas para servir em obediência ao ensino de seu Mestre. “Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.” (Marcos 10.45).

IRREPREENSÍVEIS NA CONDUTA – O comportamento é algo levado muito a sério, nossas piedosas irmãs não negociam os valores do reino. Em uma sociedade onde a busca pela satisfação e o contentamento justifica todas as atitudes, a mulher presbiteriana rejeita categoricamente as obras da carne -“Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.” (Gálatas 5.19-21) e busca o fruto do Espírito,”Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei.” (Gálatas 5.22-23)

INCANSÁVEIS NA LUTA – Disposição para o trabalho é o que não falta às valorosas servas de Cristo. Não importa a estação do ano (verão, outono, inverno e primavera), não importa o horário, não importa a distância, não importa o meio de transporte, elas estão sempre prontas para honrar a Deus em suas múltiplas atividades (domésticas, eclesiásticas, profissionais e acadêmicas). Elas sabem que o tempo e as oportunidades não devem ser desperdiçados e tendo as forças renovadas pelo Senhor, trabalham com muita vontade e determinação -“mas os que esperam no SENHOR renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam.” (Isaías 40.31).

FIRMES NA FÉ – Testemunhamos com intensa alegria a firme convicção teológica de nossas irmãs, que rejeitam as “novidades e invenções do mercado da fé” e professam que a Bíblia é a única regra de fé e prática dos que servem a Deus. Estudam e ensinam os nossos Símbolos de Fé (Confissão e os Catecismos de Westminster).

VITORIOSAS POR CRISTO JESUS – A humildade é outra importante característica da Mulher Presbiteriana, ela sabe e faz questão de deixar claro que o êxito de tudo quanto realiza é consequência direta da graça de Deus. Ela não se envergonha, antes ensina por meio do Moto e da vida diária que sem Cristo nada é possível -“permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” (Jo 15.4-5).

Firmada na soberania de Deus ela sabe que o trabalho que realiza não é em vão, – “Porque, assim como descem a chuva e a neve dos céus e para lá não tornam, sem que primeiro reguem a terra, e a fecundem, e a façam brotar, para dar semente ao semeador e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei.”(Isaías 55.10-11) e tem consequências para a eternidade: “Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão.” ( I Co 15.57-58).


A Mulher Presbiteriana é bênção no lar, igreja e sociedade. É sempre reconhecida por sua competência, dinamismo e zelo. Não foge diante dos desafios, antes, de joelhos aos pés de Cristo, suplica orientação para conduzir-se em todas as situações, tendo sempre uma palavra oportuna e edificante, sempre com o santo propósito de glorificar a seu Senhor e Rei.





Parabéns, Mulher Presbiteriana !